QpQ Resenha | O Homem que Viu o Infinito

"O Homem que Viu o Infinito" é mais uma cinebiografia de um gênio da matemática

Continuando a safra de biografias, lindamente iniciada com A Teoria de Tudo, aqui temos a história de Srinivāsa Rāmānujan, gênio da matemática autodidata indiano, vivido por Dev Patel, que tem origem pobre na cidade de Madras. Sem formação acadêmica e já casado, ele procura emprego com afinco, porém só recebe olhares e comentários que ressaltam sua inadequação para os cargos. Até o momento em que consegue um trabalho como assistente em uma firma de contabilidade.

01ohomemqueviuoinfinito

Então Rāmānujan escreve uma carta ao matemático Hardy (Jeremy Irons), em Cambridge, falando sobre suas equações e pedindo para continuar seus estudos. Hardy se impressiona e chama Rāmānujan para Cambridge. Homem religioso, Rāmānujan sabe que não poderia ir, mas crê que Deus lhe mostra os números e portanto é sua missão continuar. Com pesar, deixa família e mulher em Madras para concluir os estudos e ter seu nome nos anais da história.

Enquanto em Uma Mente Brilhante Russell Crowe conseguiu emplacar seu carisma para atrair o público, junto à sua companheira de cena, Jennifer Connelly, aqui Dev Patel não consegue a mesma façanha. Não temos nem recursos visuais para instigar o público, como em A Teoria de Tudo. Jeremy Irons salva o dia, tornando as cenas com Dev mais interessantes.

02ohomemqueviuoinfinito

O filme encara questões importantes como o racismo dos britânicos em relação aos indianos, mas acaba puxando muito pro dramalhão à la Maria do Bairro quando coloca o protagonista sofrendo o tempo todo com doença, preconceito e ainda a falta de comunicação com a mulher, que permanece vivendo em Mandras (WhatsApp, te amamos!). É difícil uma identificação.

Porém, é ótimo que um filme desses mostre ao público tamanho gênio que Rāmānujanfoi, como encarava as coisas com uma certa inocência e romantismo e como a parceria com Hardy mudou de fato suas vidas e a de todos nós. Uma pena ter sido tão breve – terminando aos 32 anos devido à tuberculose -, considerando que suas descobertas continuam a ter repercussões.

03ohomemqueviuoinfinito

Não deixe de ver o filme e testemunhar um gênio pouco reconhecido pelo público geral.

Nota:

Please follow and like us:
Sobre Marcela Sachini
Libriana (portanto, indecisa), sou viciada em seriados (inclusive sul-coreanos), apaixonada por idiomas, música e literatura. Moraria em Notting Hill com toda a certeza, só esperando um convite do Henry Cavill para isso. Fui ao cinema pela primeira vez com 6 anos. Foi amor à primeira vista, desde então não parei mais.