10 FILMES | Os melhores blockbusters de 2016

Entre sequências, refilmagens e originais, separamos os melhores 10 FILMES blockbusters de 2016

2016 foi um ano e tanto para o cinema hollywoodiano, embora alguns possam discordar já que a grande maioria dos filmes lançados pelos grandes estúdios trata-se de adaptações, sequências, prequências ou refilmagens. Mas mesmo dentro desta “maré de falta de criatividade” ainda rolaram diversas surpresas.

Confira a nossa lista de melhores 10 FILMES blockbuster de 2016! E você? Concorda com a gente? Qual filme você incluiria ou tiraria da lista?

Clique no título do filme para ser direcionado para nossa resenha sobre o longa.


ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM
(Fantastic Beasts and Where to Find Them, 2016, 2h13)

Direção: David Yates
Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler e outros

Fãs de Harry Potter tiveram um ótimo motivo para se animar em 2016. A prequência derivada da franquia, Animais Fantásticos e Onde Habitam, conseguiu ser tudo aquilo que eles (eu incluso) esperavam. Nos leva de volta ao universo encantado de magia criado por J.K. Rowling e causa arrepios e aquele calorzinho no coração de todos que gostavam das aventuras do bruxo mais famoso do mundo. Que venham os outros 4 longas previstos para a nova série.


ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS
(Rogue One: A Star Wars Story, 2016, 2h14)

Direção: Gareth Edwards
Elenco: Felicity Jones, Diego Luna, Ben Mendelsohn e outros

Se Star Wars não ficar neste vai e vem em sua linha do tempo, não parece que é Star Wars. A franquia que começou com os episódios IV, V e VI, foi depois para o I, II e III e ano passado lançou o episódio VII e agora retorna no tempo para contar uma história que se passa entre os episódios III e IV, ou seja, antes do primeiro filme lançado (dá pra fazer um nó na cabeça dos não iniciados. Mas a verdade é que o longa é ótimo e consegue resolver vários problemas que o episódio IV tinha e ainda pode ser considerado o melhor fan-service de todos os tempos.


CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL
(Captain America: Civil War, 2016, 2h28)

Direção: Anthony Russo, Joe Russo
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson e outros

Há quem reclame da enxurrada de filmes de super heróis e, em específico, da falta de impacto real nas ações dos heróis do Universo Cinematográfico da Marvel. Com este Guerra Civil, o estúdio deu um passo a frente neste impacto, mantendo os heróis divididos por boa parte do filme e em nenhum momento manipulando os espectadores dizendo que um ou outro lado está certo. O grande trunfo é justamente este e o fato de vermos todos os Vingadores reunidos mais uma vez.


STAR TREK: SEM FRONTEIRAS
(Star Trek Beyond, 2016, 2h03)

Direção: Justin Lin
Elenco: Chris Pine, Zachary Quinto, Simon Pegg e outros

Se Star Wars é um novelão da família Skywalker, Star Trek é um novelão da “família” da USS Enterprise. Sem Fronteiras aproveita todos os personagens, envolve o espectador e cria sequências de ação que reverenciam os longas antigos da série, sem deixar de ser algo novo e empolgante por si só.


DEADPOOL
(Deadpool, 2016, 1h48)

Direção: Tim Miller
Elenco: Ryan Reynolds, Morena Baccarin, Ed Skrein e outros

Deadpool foi uma grande surpresa de 2016. O desbocado anti-herói chegou com tudo, cheio de piadas de humor negro e falando com o espectador de tempos em tempo, quebrando a quarta parede. O resultado? O filme de quadrinhos mais divertido e descompromissado do ano, que peca apenas por querer dar uma grandiosidade desnecessária em seu terceiro ato.


KUBO E AS CORDAS MÁGICAS
(Kubo And The Two Strings, 2016, 1h42)

Direção: Travis Knight
Elenco: Charlize Theron, Art Parkinson, Ralph Fiennes e outros

A Laika Studios tem criado as mais belas animações em stop-motion dos últimos tempos (desculpa Aardman). Coraline e o Mundo Secreto, ParaNorman e Os Boxtrolls foram obras incríveis do estúdio e Kubo e as Cordas Mágicas mantém a tradição. O longa é uma história de família, cheia de referências à cultura oriental e aos origamis. A quantidade de detalhes da animação de faz querer assistir ao longa umas 3 vezes só para pescar todos os detalhes.


CAÇA-FANTASMAS
(Ghostbusters, 2016, 1h57)

Direção: Paul Feig
Elenco: Melissa McCarthy, Kristen Wiig, Kate McKinnon e outros

Caça-Fantasmas foi o longa com o maior mi-mi-mi do ano. Quando anunciaram que haveria uma refilmagem do clássico e ainda por cima interpretado por mulheres, os haters já começaram a falar mal da produção e dizer que ela estragaria sua infância. Eu digo apenas que se sua infância será estragada por um filme, ela foi uma droga. A verdade é que o novo filme é divertido na medida e ainda tira sarro desse ódio coletivo perpetrado anteriormente pelo longa.


DOUTOR ESTRANHO
(Doctor Strange, 2016, 1h55)

Direção: Scott Derrickson
Elenco: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Tilda Swinton e outros

Doutor Estranho pode não trazer grandes novidade à formula Marvel de origens de heróis, mas só o visual que o mundo da magia traz ao Universo Cinematográfico do estúdio já faz valer o ingresso. Benedict Cumberbatch é o herói e não há como contestar,. Tilda Swinton está ótima como a anciã (embora eu quisesse um pouquinho mais dela) e o filme dá o pontapé para a Marvel explorar outras realidades. Que venha a sequência e a participação de Doutor Estranho em Thor: Ragnarok, ano que vem.


BATMAN VS SUPERMAN – A ORIGEM DA JUSTIÇA
(Batman v Superman: Dawn Of Justice, 2016, 2h33)

Direção: Zack Snyder
Elenco: Ben Affleck, Henry Cavill, Jesse Eisenberg e outros

Mais um filme alvejado pelos haters, simplesmente por ser dirigido por Zack Snyder. Batman vs Superman – A Origem da Justiça não é perfeito, mas todo a forma como Snyder trata seus heróis, como se fossem deuses, é o diferencial do longa, que funciona melhor na versão estendida lançada posteriormente em home vídeo (leia sobre ela aqui).


PROCURANDO DORY
(Finding Dory, 2016, 1h37)

Direção: Andrew Stanton, Angus MacLane
Elenco: Marília Gabriela, Ellen DeGeneres, Albert Brooks e outros

Procurando Dory jamais seria tão bom quanto Procurando Nemo. Isto é fato e é incontestável! Mas depois que aceitamos essa afirmação podemos nos divertir com as características tão amadas dos personagens do longa de 2003, junto com os novos personagens. Como não amar o Geraldo, inclusive?


Please follow and like us:
Sobre Felipe Sclengmann
Era praticamente impossí­vel que o cinema não acabasse sendo minha paixão. Cresci no prédio onde um cinema funcionava, criado por um avô e uma avó que se conheceram trabalhando no ramo. Então, tá explicado! Falar sobre cinema é um hobbie, uma paixão, tá no meu sangue! Este é o motivo do Quadro por Quadro existir (além de aplicar os conhecimentos de uma graduação em Sistemas de Informação, a qual detesto) e ele está aí para reunir quem também ama esta arte.