QpQ Resenha | Para Além da Curva da Estrada

“Para Além da Curva da Estrada” é um documentário para atravessar o Brasil em um caminhão

O documentário Para Além da Curva da Estrada do diretor Guilherme Azevedo (Tim Lopes – Histórias de Arcanjo) acompanha o motorista de caminhão Jorge Lisboa por quase dois meses (50 dias). O filme registra a rotina de Jorge, como também histórias de outros caminhoneiros que aparecem pelas estradas. O filme ganhou o prêmio de melhor documentário no Barcelona Planet Film Festival e está selecionado para outros festivais internacionais na Itália e Estados Unidos.

O filme, com seus 75 minutos de duração, é guiado majoritariamente por Jorge e sua simpatia. O motorista possui uma grande empatia e se conecta com facilidade com os outros personagens que encontra. Jorge é objeto do filme, mas parece guia-lo, assim como o faz com seu caminhão. O documentário segue o ritmo e os destinos apontados por ele. O road movie segue por estradas mal conservadas, chuvas e cenários que mudam a cada parada. A vida do caminhoneiro não para.

“Onde passa o caminhão passa dinheiro, passa comida, passa tudo”. Relatos como esse são frequentes durante o documentário, que enfatizam a importância da profissão do caminhoneiro na economia do país. Profissão pouco valorizada por muitos, mas bastante amada por quem a pratica. “Caminhão é um vício, não dá pra viver sem!” O diretor Guilherme Azevedo e sua equipe conseguem capturar bem esse sentimento de devoção pelas estradas.

O amor pelo caminhão e pelas estradas começa muitas vezes dentro da própria família. É comum ver motoristas que são filhos de caminhoneiros. Também e não é difícil ver famílias viajando juntas.

O documentário nos apresenta personagens interessantes que nos contam histórias de dificuldades, de amor, de sonhos e de realizações. Caminhoneiros, agenciadores de frete, frentistas, entre outros, são todos personagens de uma longa história que se repete e parece nunca ter fim.

Nota:

Sobre Viní­cius Gratão
Geek de carteirinha, apaixonado por quadrinhos, games, animes e tecnologia. Formado em cinema, amo particularmente os clássicos e os westerns à  italiana. Acredito em tudo, inclusive em Tex Willer.