QpQ Resenha | Não Devore Meu Coração!

"Não Devore Meu Coração!" mostra a rivalidade entre brasileiros e paraguaios na fronteira do Mato Grosso do Sul

Não Devore Meu Coração! é uma coprodução brasileira com a Holanda e a França, dirigido por Felipe Bragança e foi o único representante do nosso país no festival do Robert Redford, o célebre Sundance. Além disso, traz a estrela nacional Cauã Reymond (que, como vimos no programa Lady Night com a Tatá Werneck, tem a habilidade de chorar em dois segundos – ainda chocada rs). Porém nem só de credenciais vive um filme, não é?

Os contos do escritor Joca Reiners Terron dão origem à história com elementos de fantasia de um menino brasileiro de 13 anos, Joca (Eduardo Macedo), que se apaixona por Basano La Tatuada (Adeli Benitez), uma índia paraguaia. O romance é uma espécie de Romeu e Julieta às avessas, porque aqui Basano a princípio não retribui o amor de Joca, mas com o tempo e as investidas, é vencida pela inocência do menino. Porém existem outras circunstâncias separando o casal, como o irmão de Joca, Fernando (Cauã Reymond), um “agroboy” que convive com uma turma de motociclistas na cidade sul-mato-grossense. Turma essa suspeita de estar envolvida nas mortes dos motociclistas do lado paraguaio. Essa rivalidade que remete à história da Guerra do Paraguai move a narrativa e os sentimentos conflitantes dos personagens.

A trilha se sobressai nessa fábula tupiniquim que bebe de tantos gêneros a ponto de se perder no meio destas. Uma música original que lembra muito aquelas de filmes de ficção científica é o grande trunfo da produção.

Embora não sejam de fato atores, a atuação um tanto inexpressiva do elenco adolescente prejudica o interesse do espectador, a vontade de embarcar nessa mescla de elementos poéticos e dramáticos. É possível entender a escolha, em se tratando de buscar a naturalidade, mas não parece funcionar com consistência durante todo o filme. O elenco adulto, por sua vez, está muito bem, inclusive dando margem a uma ponta de Ney Matogrosso.

Mas é sempre bom prestigiar o cinema nacional e ver com seus próprios olhos se essa experiência tão diferente irá instigar os seus sentidos. Então não deixe de conferir Não Devore Meu Coração!.

Nota:

Please follow and like us:
Sobre Marcela Sachini
Libriana (portanto, indecisa), sou viciada em seriados (inclusive sul-coreanos), apaixonada por idiomas, música e literatura. Moraria em Notting Hill com toda a certeza, só esperando um convite do Henry Cavill para isso. Fui ao cinema pela primeira vez com 6 anos. Foi amor à primeira vista, desde então não parei mais.