QpQ Resenha | O Rei do Show

"O Rei do Show" é um filme sobre sonhos, impossível de não se apaixonar

A chamada da minha resenha sobre La La Land – Cantando Estações era que o longa “é um filme sobre sonhos, impossível de não se apaixonar”… É plágio repetir minha própria chamada aqui para O Rei do Show?

No filme, que conta com a dupla de compositores do próprio La La Land, Benj Pasek e Justin Paul, P.T. Barnum (Hugh Jackman) desafia as barreiras sociais se casando com a filha do patrão do pai e dá o pontapé inicial na realização de seu maior desejo abrindo uma espécie de museu de curiosidades. O empreendimento fracassa, mas ele logo vislumbra uma ousada saída: produzir um grande show estrelado por freaks, fraudes, bizarrices e rejeitados de todos os tipos.

Hugh Jackman, o eterno Wolverine, solta a voz mais uma vez, depois de Os Miseráveis, e interpreta um P.T. Barnum cheio de vitalidade e sonhos que inventaram o showbiz moderno. Ao mesmo tempo, o filme ainda acompanha e sensibiliza as atrações do “circo” de Barnum.

O Rei do Show não é sobre atrocidades nos circos. É uma romantização genuína sobre a diversidade e sonhos sendo realizados. Os números musicais são de um frescor magnetizante e trazem calor ao coração e muitos arrepios com seus momentos impactantes (me empolguei mais com os números de O Rei do Show do que com La La Land e Moulin Rouge).

Se você gosta de musicais, O Rei do Show vai te cativar em 30 segundos e quando o primeiro número terminar rapidamente você já estará ansiando por mais momentos das atrações de Barnum. E quando a mulher barbada, interpretada por Keala Settle (Rick and the Flash: De Volta para Casa), soltar sua voz na inspiradora “This is Me”, teremos a primeira grande epifania com o filme. É um momento lindo.

Os números são incríveis e apaixonados. Com ritmo pop que lembram muito de Moulin Rouge, mas muito mais original do que ele, mesmo dentro de uma simplicidade ímpar.

A influência dos comerciais é nítida na direção do australiano Michael Gracey, mas ele é sincero em seu trabalho com o filme. O Rei do Show é um filme redondinho e que te faz sair leve do cinema. P.T. Barnum sabia que todos são estrelas. Era um homem cheio de sonhos e que inventou o maior show do Terra para fazer todo o mundo acreditar nele, até, é claro, ser superado por Hollywood e suas grandiosidades eloquentes.

Nota:

Please follow and like us:
Sobre Felipe Sclengmann
Era praticamente impossí­vel que o cinema não acabasse sendo minha paixão. Cresci no prédio onde um cinema funcionava, criado por um avô e uma avó que se conheceram trabalhando no ramo. Então, tá explicado! Falar sobre cinema é um hobbie, uma paixão, tá no meu sangue! Este é o motivo do Quadro por Quadro existir (além de aplicar os conhecimentos de uma graduação em Sistemas de Informação, a qual detesto) e ele está aí para reunir quem também ama esta arte.