QpQ Resenha | Grace and Frankie - 4ª Temporada

QpQ Resenha | Grace and Frankie – 4ª Temporada

A quarta temporada de "Grace and Frankie" se aproveita do momento político e diverte mais do que nunca

Como já é de costume de séries que se constroem nos moldes do sitcom, pouca coisa muda de temporada em temporada, e isso também acontece com Grace and Frankie. A dupla de melhores amigas levou tempo para se aceitarem, mas ainda continuam trabalhando nessa relação de companheirismo e nas dificuldades de reconstruir a vida sozinhas na terceira idade. Essa base do roteiro só se mexe com a entrada de novos personagens ou situações de tramas paralelas importantes que sempre aparecem. Alguns temas que antes eram martelados para ganhar relevância, como a independência financeira das amigas ou como elas acompanham as tecnologias de hoje, agora já ficam num segundo plano para dar espaço a outras questões.

O final da terceira temporada soube emocionar na medida certa e deixou um gancho interessante para a próxima. Frankie (Lily Tomlin) decide se mudar para Santa Fe com Jacob (Ernie Hudson), mas Grace (Jane Fonda) fica devastada por ser deixada sozinha em La Jolla nesse momento da vida. No retorno da série o desfecho disso é óbvio, mas esse recurso do roteiro serve para unir ainda mais as duas. Dessa vez, Grace fica um pouco mais em evidência pela questão de seu joelho machucado e isso rende cenas e diálogos hilários.

A série se mantém mais ágil do que nunca, e esse ritmo ajuda não só a contar as histórias, mas também os atores coadjuvantes, que não parecem mais tão robóticos. A direção das cenas em que toda a família está junta, funciona muito melhor e dá um aspecto mais real, com um falando em cima do outro e a câmera captando reações ao longo das conversas. Já a trama de Sol (Sam Waterston) e Robert (Martin Sheen), fica um pouco em escanteio e desinteressante no começo, mas com um propósito maior de desenvolver os personagens para um novo rumo, em que os dois sentem necessidade de reviver o casamento que já passou da fase mais apaixonante para a rotineira. Agora, quem tinha tudo para roubar a cena nessa quarta temporada era Lisa Kudrow, a eterna Phoebe de Friends, que retorna sua parceria com a produtora Marta Kauffman e faz uma participação especial em alguns episódios, mas entrega uma personagem sem sal e não é beneficiada pela trama para mostrar um pouco mais de talento para o drama ou comédia.

Sem sombra de dúvida, essa é uma das séries, que por mais seleto que seja seu público e seu tema, que é a terceira idade e deus desafios, Grace and Frankie continua jovem, atual e consegue conversar muito bem com todo tipo de público que esteja aberto a se divertir. A comédia é bem medida e equilibrada com o drama, que não baixam a guarda para o pessimismo. A força das protagonistas em empoderar as mulheres de todas as idades e suas interpretações que já renderem diversas indicações ao SAG, Globo de Outro, Emmy e outros, reforça o quão importante a série é.

Nota:

Please follow and like us:
Sobre Felipe Cavalcante
Formado em RTV, fã de boas músicas e boas histórias, sempre em busca de coisas novas e empolgantes. Obcecado por super-heróis e pela magia do impossível que se torna real nas telas da TV e do cinema.