QpQ Resenha | Curtas – What the F… rench!?

Os curtas da categoria "What the F... rench!?" são os mais interessantes e "franceses"

A categoria curtas acaba não recebendo o destaque que merece em alguns festivais. Ainda bem no MyFFF eles têm tanto destaque quanto os longas. Imagina só ter que contar uma história completa em 10 minutos? É para poucos. Então aproveita que aqui você não vai ter a desculpa de não ter tempo pra assistir e confira todos estes curtas incríveis no Festival, divididos em categorias (pra facilitar ainda mais sua vida!).

Os curtas da categoria What the F… rench!? foram os mais interessantes e “franceses”, na minha opinião. Desde sempre pensei no cinema francês como um espaço para experimentação, filmes ousados e malucos. Mas já há algum tempo tenho visto muitos que não diferem em quase nada com os produzidos com Hollywood. Não chega a ser um cinema de vanguarda, mas vale a pena conferir.


Hotel Judith

Dois anos na fila de espera para conseguir uma vaga no, pelo visto, badalado Hotel Judith. Gente, por que será, eu de cara me pergunto. Demora um pouco, mas logo você percebe que o que os hóspedes desejam é um pouco mais interessante do que apenas uma cama para descansar.

Apesar de o final ser um pouco previsível, o curta Hotel Judith tem uma estética muito bacana, e ares de filme de David Lynch, com sua história maluca e cenas beirando o surreal.

Nota:


O Sétimo Continente

Drogas, sexo e sacolas de plástico. Muitas sacolas de plástico. Uma ilha de sacolas de plástico, na verdade. E muitos personagens bizarros e que flutuam surrealmente pela história.

Destaque para a personagem Claire Soares, trancada em seu flat, lambendo sua bola de cristal e fingindo que vai acabar tudo bem. Ela me deu medo, especialmente considerando o momento político atual.

Nota:


Amor Selvagem

Vou encarar este curta de animação como uma crítica ao nosso abuso à natureza, e sua eventual vingança, pra não me sentir muito traumatizada. E mesmo assim, vou me manter longe de florestas por um tempo, ainda mais aquelas que têm bichinhos fofinhos.

Nota:


Please follow and like us:
Sobre Melissa Correa
Cinema sempre foi minha maior paixão, sempre fez parte de quem eu sou. Quando criança, eu levantava pra ver filmes de terror de madrugada, escondida. Ficava até três da matina (bendito fuso horário de Los Angeles!!) pra acompanhar o Oscar. E salvava cada centavinho pra ver os filmes no cinema. Hoje também curto viajar, beber café e ler, mas o cinema continua em primeiro lugar na minha vida.