10 Filmes para comemorar o Dia do Cinema Brasileiro - Quadro por Quadro

10 Filmes para comemorar o Dia do Cinema Brasileiro

19.06.2015 │ 07h36

Uma lista difícil de fechar: 10 FILMES para comemorar o Dia do Cinema Brasileiro

Hoje, 19 de junho, comemora-se o Dia do Cinema Brasileiro.

Apesar de estar crescendo muito nos últimos anos, chegar a concorrer a uma estatueta, nenhum filme brasileiro acabou ganhando o Oscar!

Foi no dia 19 de junho de 1898 que Afonso Segreto, o primeiro cinegrafista e diretor do país, registrou as primeiras imagens em movimento do território brasileiro, por isso a data foi escolhida para ser o Dia do Cinema Brasileiro.

Para comemorar essa data e a inauguração da coluna 10 FILMES, que contém as fichas dos filmes separadas por temas, os colaboradores do QpQ reuniram com muita dificuldade (precisaríamos de mais filmes) 10 FILMES nacionais que devem ser vistos por qualquer cinéfilo!

O Pagador de Promessas
(O Pagador de Promessas)
Direção: Anselmo Duarte
Elenco: Leonardo Vilar, Gloria Menezes, Dionisio Azevedo e outros
O Pagador de Promessas, de 1962, é um dos clássicos do cinema brasileiro. Baseado em uma peça de teatro escrita por Dias Gomes, o filme, que ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, conta a história de Zé do Burro (Leonardo Villar), que faz uma promessa para tentar salvar a vida de seu melhor amigo, o burro de estimação, e, ao tentar cumpri-la, se depara com a intolerância religiosa de um padre, Olavo (Dionísio Azevedo), que não admite que Zé entre na igreja para cumprir uma promessa feita em um terreiro de candomblé. Não ache estranho se a história parecer vagamente familiar, ou bem atual: a triste incapacidade do ser humano de aceitar e acolher as diferenças, gerando intolerância e preconceito, o tema principal do filme, é nosso velho conhecido na vida real.
Dona Flor e Seus Dois Maridos
(Dona Flor e Seus Dois Maridos)
Direção: Bruno Barreto
Elenco: Sonia Braga, José Wilker, Mauro Mendonca e outros
A comédia Dona Flor e seus Dois Maridos, de 1976, dirigida por Lima Barreto e baseada na obra de Jorge Amado, foi por 34 anos um recordista de público do cinema brasileiro (Tropa de Elite 2 bateu este recorde em 2010), levando mais de 10 milhões de pessoas ao cinema. O filme acompanha Dona Flor (Sônia Braga), que se casa com Teodoro Madureira (Mauro Mendonça), um pacato farmacêutico, após seu primeiro marido, o mulherengo jogador Vadinho (José Wilker), morrer repentinamente. Apesar dos defeitos do finado, Dona Flor sente muito sua falta, pois o novo marido não é um amante à altura. E quem pede, recebe, e ela acaba dividindo a cama com dois maridos – apesar de um deles somente ela poder ver. E por sorte o expectador também o vê, podendo então acompanhar as desventuras desse trio amoroso, em um clássico que faz parte do imaginário brasileiro.
Super Xuxa Contra o Baixo Astral
(Super Xuxa Contra o Baixo Astral)
Direção: Anna Penido, David Sonnenschein
Elenco: Guilherme Karan, Xuxa, Paolo Paceli e outros
Depois destes dois clássicos aí de cima, você se pergunta: porque Super Xuxa Contra o Baixo Astral está nesta lista, minha gente? Ha! Porque é um clássico também! Um clássico da nossa infância! O filme é bem simples: Xuxa é o bem, o Baixo Astral (Guilherme Karan) é o mal. Quem será que vence no final em um filme de “baixinhos”? Mas não é por isso que o filme é um clássico e está nesta lista! Ele tem Xuxa, Xuxo, Xixa (você lembra dessa lagarta preguiçosa??), paquitas, muita música, efeitos especiais sensacionais pra época (hoje podem parecer meio toscos, mas…), figurinos incríveis, lições de moral, o pacote completo. O filme levou basicamente 2.5 milhões de espectadores aos cinemas, mas também ganhou bastante com merchandising (o meu preferido é o do Lango-Lango). Vale muito a pena dar uma espiada, nem que seja pra aprimorar seus bordões inspirados na rainha e parar de usar o batidinho “Senta lá, Cláudia!”.
Deus é Brasileiro
(Deus é Brasileiro)
Direção: Carlos Diegues
Elenco: Antonio Fagundes, Hugo Carvana, Wagner Moura e outros
Que Deus é Brasileiro todo mundo já cansou de ouvir falar. Mas quando o próprio resolve aparecer em Alagoas em busca de um substituto para poder tirar férias, fica difícil de acreditar. Taoca se encarrega de acompanhar o magnânimo em sua jornada em busca de Quinca das Mulas, o candidato a santo, já pensando no pagamento em troca. Mas no meio do caminho se deparam com outras surpresas, como Madá, que também os acompanha nessa comédia com uma pitada de drama.
Olga
(Olga)
Direção: Jayme Monjardim
Elenco: Camila Morgado, Caco Ciocler, José Dumont e outros
Olga Benário é uma jovem judia alemã e militante comunista que, perseguida pela família, foge para Moscou. Após treinamento militar, torna-se responsável por levar Luiz Carlos Prestes ao Brasil. Os dois se apaixonam na viagem, ao planejar a Intentona Comunista contra Getúlio Vargas. E seguem juntos na luta por um governo melhor, por seu amor e por suas próprias vidas.
O Cheiro do Ralo
(O Cheiro do Ralo)
Direção: Heitor Dhalia
Elenco: Selton Mello, Paula Braun, Alice Braga e outros
Heitor Dhalia saiu de Nina, um grande sucesso de crítica, diretamente para este O Cheiro do Ralo, com Selton Mello. O filme, uma comédia de humor-negro, foge do lugar-comum e mostra os distúrbios psicológicos de Lourenço, dono de uma loja que compra produtos usados e aos poucos desenvolve um jogo com seus clientes, trocando a frieza pelo prazer que sente ao explorá-los, já que sempre estão em sérias dificuldades financeiras.
Tropa de Elite
(Tropa de Elite)
Direção: José Padilha
Elenco: Wagner Moura, Caio Junqueira, André Ramiro e outros
Capitão Nascimento, comandante do batalhão BOPE da cidade do Rio de Janeiro, está em busca de um substituto para seu posto, pois sua mulher está grávida e vive implorando para que ele saia da linha de frente. Matias e Neto são amigos de infância e policiais honestos, que cruzam o caminho do capitão Nascimento quando se envolvem num tiroteio no morro do Turano. Depois do susto, seu objetivo maior é entrar para o BOPE, e o capitão vê em Neto um candidato potencial para substituí-lo.
Estômago
(Estômago)
Direção: Marcos Jorge
Elenco: João Miguel, Babu Santana, Fabiula Nascimento e outros
Estômago, do diretor curitibano Marcos Jorge, é um dos filmes mais interessantes desde que aconteceu a chamada Retomada do cinema brasileiro, na segunda metade dos anos 90. Mostrando a breve trajetória de Raimundo Nonato, um homem simples, migrante do árido nordeste em direção ao sul do país, ele vive uma odisseia da ascensão à queda através da comida. Quase uma fábula sobre comer ou ser devorado, “Estômago” é uma comédia, com um humor levemente negro e uma crítica social muito bem executada sobre os lugares preestabelecidos na sociedade brasileira e a tão sonhada ascensão dos menos favorecidos.
Romance
(Romance)
Direção: Guel Arraes
Elenco: Wagner Moura, Letícia Sabatella, José Wilker e outros
Durante a montagem da peça adaptada de Tristão e Isolda, Pedro e Ana se conhecem e se apaixonam. Despreparado e cético frente a um amor recíproco feliz, Pedro tem uma visão pessimista enquanto Ana prefere acreditar no melhor. As circunstâncias os separam, mas depois de anos, uma oportunidade de trabalharem juntos novamente reacende a paixão. Dessa vez em carne e osso, um obstáculo se apresenta com o nome de Orlando. Resta saber qual o rumo esse romance tomará.
O Contador de Histórias
(O Contador de Histórias)
Direção: Guel Arraes
Elenco: Maria de Medeiros, Marco Antonio Ribeiro, Teuda Bara e outros
O Contador de Histórias é fundamentado no drama de Roberto Carlos Ramos, escolhido por sua mãe para ser interno em uma instituição oficial que, segundo apregoava a propaganda, visava a formação de crianças em médicos, advogados e engenheiros. Trata-se da antiga FEBEM, que todos sabem não era bem assim. O filme sensibiliza e alerta o espectador quanto a uma realidade do país, e o faz, sem ser piegas ou maniqueísta.

Você também pode gostar…

  • Leia mais
    Os Piores 10 Filmes blockbusters de 2017
    23.12.2017
  • Leia mais
    Os melhores 10 Filmes de terror de 2017
    25.12.2017
  • Leia mais
    No dia da 1ª viagem à lua, 10 Filmes espaciais para ir ao infinito e além
    20.07.2015
Quadro por Quadro