LEGO Batman: O Filme

09.02.2017 │ 14:28

09.02.2017 │ 14:28

Um brinquedo que ganhou o mundo e um herói amado por todos: essa é uma combinação impossível de dar errado!
Não importa quantas vezes uma cidade é salva, ela sempre fica em perigo de novo, principalmente quando o Coringa está solto. Só que desta vez Batman precisará aprender alguns truques novos que não podem ser incluídos no cinto de utilidades. Deixar o lado sombrio e solitário de lado, unir-se ao parceiro de combate Robin, a policial Bárbara Gordon e seu fiel mordomo Alfred, será o verdadeiro desafio.

LEGO Batman é um filme que surpreende. Não só pela animação que, literalmente, foi construída com os blocos de encaixar, mas também pela combinação de elementos que garantiram uma trama envolvente, engraçada e cheia de ação.
O universo LEGO é vasto, e essa ideia foi transmitida nos dois filmes que levam o nome da marca além de alguns conceitos que envolvem as peças, como a versatilidade, já que muitas são as opções de montagem e Batman, como sabemos, é um Mestre Construtor. Isso deu um toque especial à trama, como se os personagens em alguns momentos fizessem graça do fato de tudo ser feito de pequenas pecinhas. Porém, o maior trunfo da história é sua incrível combinação de múltiplos personagens e referências que vão além do mundo cinematográfico.

No que se refere a diversidade de personagens, no lado dos vilões temos o time principal, que conta com Coringa, Harley Quinn, Bane, Era Venenosa, Dr. Freeze, Mulher-gato, Pinguim, Duas Caras, Charada, Espantalho… Mas muitos outros super vilões de games e filmes em geral aparecem para testar as habilidades do Cavaleiro de Gothan. Já no lado dos mocinhos, também há diversidade, mas com menos foco.

Pensando agora nas referências, essas sim aparecem em todo lugar e são responsáveis pelo sucesso do longa: estão na senha do computador da Batcaverna, no nome e estilo dos trajes escolhidos por Robin e Alfred, em diálogos simples como quando Batman tira sarro da ideia de usar vilões para capturar vilões (fazendo alusão ao Esquadrão Suicida), na sua rivalidade com Superman e em várias outras.
Agora, o toque final, e talvez a melhor sacada do enredo, é a relação de Batman e Coringa, pois vai muito além da ideia de herói e arqui-inimigo. O que vemos dessa vez é um Coringa malvado, como sempre, mas magoado com o descaso de Batman por ele, o que rende a alter ego de Bruce Wayne reflexão que vai influenciar todos à sua volta. Impossível perder esse longa que mostra o lado mais estereotipado de seus personagens combinados à sua versão mais minimalista e divertida.
Nota:

[wpdevart_youtube]roXU4sLi05U[/wpdevart_youtube]

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro