Resenha │ À Procura

04.12.2014 │ 11:26

Ai, ai, ai… é isso que dá ter altas expectativas em relação a um filme. Vivo falando que o lance é assistir ao filme de peito aberto, sem esperar nada do danado. Mas às vezes a gente derrapa, feio. E isso aconteceu com À Procura (The Captive). Esperei muito de Ryan Reynolds e Rosario Dawson, e me fizeram muita propaganda do diretor Atom Egoyan, e o resultado foi decepcionante.
À Procura trata de pornografia infantil, tema bem atual e que pode sustentar a trama muito bem. E o filme começa bem pra caramba, com várias cenas, a princípio, bem desconexas, como um quebra-cabeças. Hum, bom. Vou tentando entender o que está acontecendo, e com 20 minutos de filme já tenho uma ideia de quem são os personagens e pra onde vão. Pais que tiveram a filha raptada, filha raptada ainda está viva, as histórias vão se cruzar a qualquer minuto. Pronto, tô prontinha pro thriller começar a me entregar a mercadoria. Mas aí vem a decepção. O filme empaca. Derrapa. Os personagens , que pareciam ter tanta coisa pra oferecer, são trabalhados superficialmente. A trilha sonora oferece mais emoção que as cenas. E a Dawson não chuta a bunda de ninguém!!! Ah, saco.
Bom, vale a pena checar, pra você ter seus argumentos e falar com propriedade sobre o filme. Eu não gostei, mas quem sabe você vai gostar, né? Não esquece de deixar sua opinião aqui depois de assisti-lo.

À Procura

()
País:
Direção:
Roteiro:
Elenco:
Ano:
Duração:

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro