Busca Implacável 3 │ Resenhas: Quadro por Quadro

Resenha │ Busca Implacável 3

22.01.2015 │ 19:11

Bandidos russos, um ex-agente com habilidades inatingíveis, uma família indefesa, perseguição e explosões. Busca Implacável 3 tem os elementos que tornam a trama óbvia mas alguns detalhes equilibram o filme.
Diferente da linha de salvar e proteger das duas primeiras sequências, nesse caso Bryan Mills (Liam Neeson) precisa provar sua inocência no assassinato da ex-mulher Lenore (Famke Janssen). Sua investigação particular o coloca a frente da polícia e com certa vantagem não o descartam como suspeito. É nesse momento que o personagem do investigador Franck Dotzier, interpretado por Forest Whitaker, ganha destaque, pois ele não é apenas mais alguém perseguindo cegamente o suspeito. O investigador percebe já no início que algo está errado, e ao mesmo tempo que tenta prendê-lo para que “possa fazer o seu trabalho” sem interferência alheia dá o benefício da dúvida a Bryan. E isso torna a trama um pouco mais interessante já que existe uma ligeira competição entre Mills e Dotzier para ver qual deles solucionará o caso primeiro (a resposta é evidente mas não deixa a história menos atrativa).
Em relação aos outros personagens, é decepcionante ver como Kim (Maggie Grace) continua a mesma filha mimada dos outros filmes. Por mais que o pai tenha um instinto protetor exagerado eles poderiam ter uma relação mais madura. A ligação do personagem principal com seus amigos no entanto está melhor desenvolvida nessa filme. Em várias cenas eles aparecem agindo em conjunto, seja para jogar golfe ou prender os bandidos.
Por fim, o espectador ainda pode esperar os diálogos e frases de efeito que quando colocadas no contexto dos filmes de ação ficam engraçadas. Em uma das cenas, quando Bryan toma o carro de um policial, ele lhe fala: “Isso não vai acabar bem para você”, ao que ele responde “Não seja tão pessimista”.

Busca Implacável 3

()
País:
Direção:
Roteiro:
Elenco:
Ano:
Duração:

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro