Resenha │ Capitão América – O Primeiro Vingador

30.07.2011 │ 21:09

"Capitão América - O Primeiro Vingador" não é memorável, mas também não é descartável

“Capitão América” nunca esteve entre meus interesses. Não foi um dos heróis da minha infância e também nunca entendi as asinhas em sua máscara (dúvida aparentemente compartilhada pela direção de figurino). Perguntassem-me, não saberia defini-lo em apenas uma frase. Talvez até tenha formulado alguma em 1990, então com um ano de idade, mas é de fato difícil lembrar. Após ter visto a produção da Marvel, consegui. “Capitão América é um exemplo para todos os garotinhos mirrados que sofrem bullying (há) pelos grandalhões da rua.”. E, acredite, jaz aí a razão da minha experiência ao ver o filme ter sido agradável. Por dois grandes motivos que se relacionam estritamente.

Primeiro: antes do herói, o mal. E o Caveira Vermelha é um dos vilões mais chatos de todos os tempos. Logo, se o conflito interno de Steve Rogers não tivesse me comprado, restaria pouco. Dito isso, o obrigada vai a Chris Evans, pela atuação sólida, e, com ressalvas, à equipe de efeitos especiais, que o diminuíram de forma impecável, mas não me convenceram do porquê do 3D.

Segundo, as cenas de ação não são o forte do roteiro. Christopher Markus e Stephen McFeely, sem decepcionar os fãs de quadrinhos (aliás, referências aos demais filmes da franquia Marvel divertem), tiveram a sacada de deixar o pano de fundo (a 2ª GM) e as vilanices de lado e focaram no que é de fato interessante: a saga de Rogers. As tentativas de alistamento no exército, a relação com Bucky (Sebastian Stan), o Dr. Erskine (Stanley Tucci) e Peggy Carter (Hayley Atwell, que, ainda bem, não é só mais uma das mulheres-pin-ups do filme), sua carreira de garoto propaganda antinazista, sua humildade e carisma. E também certa falta de noção, no fim, ao gritar para Caveira Vermelha que um “mundo sem bandeiras” não é o tipo de futuro que ele deseja. Nessa, estou com o vilão. Também quero um mundo sem fronteiras, só não planejo escrever (sim, escrever) os nomes das principais metrópoles mundiais em superbombas.

Joe Johnston não se arriscou em nenhum momento e, por isso, seu filme não é memorável, mas também está longe de ser descartável: prepara bem o terreno para “Os Vingadores” (cujo trailer aparece após os créditos!). É um “já vi isso”, de fotografia sépia para anos 40 e fotografia fria para o mal e à guerra, que agrada.

Capitão América – O Primeiro Vingador

(Captain America: The First Avenger)
País: EUA
Direção: Joe Johnston
Roteiro: Christopher Markus, Stephen McFeely
Elenco: Chris Evans, Hayley Atwell, Sebastian Stan
Ano: 2011
Duração: 2h04

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro