Resenha │ Cidades de Papel

09.07.2015 │ 12:00

Cidades de Papel encanta pela simplicidade… É um tema adolescente para adolescentes. Óbvio que adultos se sentem confortáveis assistindo e saem mais leves no final, pois o assunto do filme é atual, fazendo com que pensemos em nossos dilemas internos, na importância da amizade e de como percebemos o primeiro amor.
O nome do filme é inspirado nas pequenas cidades criadas por cartógrafos para conseguir identificar cópias. O título foi escolhido por John Green, autor do livro homônimo, que é fascinado por este ofício.
O tema central em Cidades de Papel é a paixão platônica de Quentin Jacobsen (Nat Wolff) por sua vizinha enigmática, Margo Roth Spielgelman (Cara Delevingne). Quentin, ou Q, como é chamado pelos amigos e pela própria Margo, é um personagem suave e romântico. No começo do filme já nos identificamos com ele e nos sentimos à vontade para viver a aventura que está por vir.
Q, que era amigo inseparável de Margo na infância, já não faz parte de seu círculo de amizades. Spielgelman, com o passar dos anos, tornou-se popular e namora o “queridinho” da escola. Radar e Ben são os melhores amigos de Q e, estes três, são alvo de chacotas da turma liderada por Margo. Até que, inesperadamente, ela invade o quarto do ex-amigo e convoca-o para fazer parte de um engenhoso plano de vingança, ele, é claro, aceita e vive uma noite incrível! Esperançoso de que a partir daqueles momentos eles se tornem novamente inseparáveis ele vai para aula no dia seguinte esperando encontrá-la, porém Margo desaparece, mas deixa pistas sobre seu paradeiro.
Preocupado e querendo declarar seu amor, Q quebra todas as regras para encontrá-la e é nesta busca que ele começa a entender que M não é um milagre como ele queria acreditar, e sim uma pessoa de carne e osso, que quanto mais ele se aproxima dela mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.
Os dois atores estão extremamente à vontade nos papéis. Wolff é carismático e Cara representa o esterótipo teenager inconformado, de forma exemplar, mostrando porque ela é uma das novas queridinhas de Hollywood.
O espectador encontrará o mistério, drama e o romance que procura no filme, aos olhos dos personagens adolescentes que tanto gosta. A trama emociona, diverte e nos remete ao tempo de nossas vidas em que tudo acontecia pela primeira vez.

Cidades de Papel

()
País:
Direção:
Roteiro:
Elenco:
Ano:
Duração:

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro