Grace & Frankie - 3ª Temporada │ Resenhas: Quadro por Quadro

Grace & Frankie – 3ª Temporada

28.03.2017 │ 12:46

28.03.2017 │ 12:46

Marta Kauffman e Howard J. Morris, os criadores de Grace & Frankie, retomam o trabalho extraordinário que iniciaram lá em 2015, nesta nova temporada. Trazendo a terceira idade ainda mais em espectro. Jane Fonda, Lily Tomlin, Sam Waterston e Martin Sheen estão mais a vontade do que nunca na pele de seus personagens que emprestam muitas experiências pessoais e de personalidades de seus intérpretes. Agora, com a nova guinada na vida de Grace e Frankie com a criação de um business de vibradores para mulheres mais velhas, os desafios aparecem com muito bom humor. Desde o preconceito com a masturbação, até a própria idade das donas da empresa, que não apelam muito ao público em geral nas vendas.

Na ala masculina do elenco isso não é diferente, agora que o casal Sol e Robert precisam encontrar o novo passo para suas vidas, já que seus filhos estão encaminhados e suas funções e rendimentos no trabalho e como membros na sociedade mudaram um pouco. A palavra aposentadoria é apresentado pela primeira vez e consegue moldar destinos muito interessantes para os personagens, mesmo elitizados e com um olhar apenas para os bem sucedidos, o sentimento de invalidez consegue ser transferido para todo tipo de situação financeira e pessoal. Concluindo isso, o roteiro nos leva agora a aceitação da homossexualidade em outro nível. No combate a homofobia de modo infantilizado e didático, mas muito informativo. E como esses homens aos 70 anos, vêem a necessidade de lutarem por essa causa recente na vida deles, mesmo num estágio avançado na vida.

O discurso sobre o corpo não ser mais o mesmo aos 70 anos traz muito material para situações de segurança e saúde, e o fator aceitação está sempre sendo pinçado para dar lugar ao humor. Remédios, cuidados e alertas de ambulância são alguns deles. Talvez essa seja a temporada que mais saiba trabalhar o equilíbrio entre o drama e a comédia, sem delongar muito um assunto e já pular para o desenrolar da trama sem dar muita explicação. De qualquer forma, a emoção é muito bem construída e as risadas ao longo dos episódios se confundem com lágrimas de emoção e sensibilidade quando chega na última cena. Afinal, antes de uma comédia dramática sobre envelhecer, essa é uma história sobre amizade.
Nota:

[wpdevart_youtube]UhVp74TsHK4[/wpdevart_youtube]

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro