Scream: Halloween - Halloween II │ Resenhas: Quadro por Quadro

Scream: Halloween – Halloween II

20.10.2016 │ 09:37

20.10.2016 │ 09:37

A MTV havia prometido um capítulo especial em comemoração ao Halloween para complementar o final da segunda temporada de Scream, a série que reinventa a famosa franquia de filmes do assassino com máscara de fantasma em Pânico. Muitos especulavam que esse seria o encerramento definitivo da série que escorregou muito no roteiro e hoje se encontra muito superficial se comparada a qualidade dos filmes.
maxresdefault
Em um formato de episódio duplo ou quase um telefilme, a trama começa com o sucesso do livro de Noah (John Karna) e Stavo (Santiago Segura) sobre os assassinatos em Lakewood, homenageando o livro homônimo da personagem de Courtney Cox em Pânico 2. Os dois são desafiados a encontrar uma nova inspiração para escreverem uma sequência e por isso são levados a uma ilha que carrega uma história macabra sobre uma assassina dos anos 1930. E claro que todo o elenco embarca nessa aventura achando que vão para um descanso de final de semana, até descobrirem o real motivo por estarem lá, mas ninguém em sã consciência decide ir embora imediatamente e já nesse momento a trama se sabota. É difícil imaginar que alguém que passou por dois massacres, queira curtir uns dias de férias e não afunde em sentimentos de culpa, remorso, saudade e reclusão.
mgid-ao-image-mtv
Talvez o que ainda mantenha os expectadores antigos da franquia de horror seja o sentimento de achar que algo muito bom ainda vá acontecer na série, mas parece que a trama nunca desengata do ponto morto. Numa oportunidade medíocre do roteiro de mudar os ares e contar uma nova lenda macabra ao redor de uma fogueira para ganhar tempo e não mexer ainda na história da anunciada terceira temporada, os adolescentes viram detetives e a construção de suas cargas como vítimas é totalmente esquecida e ainda procuram enaltecer Emma (Willa Fitzgerald) como uma heroína. Tudo isso parece muito fácil e intuitivo, mas e as surpresas? Bem, ainda que poucas, elas existem e as reviravoltas são muitas, mas nada que a gente não consiga adivinhar de cara.
scream-halloween-special
Todas as regras de filmes de terror são aplicadas novamente, como quando todos precisam se trancar numa casa cheia de cômodos e entradas secretas até nas partes em que o telefone fica sem sinal e as luzes se apagam. Os ataques do assassino da vez são mais pesados, mas algumas lutas com a mocinha da história principalmente, são muito mal encenadas e descoordenadas, o que causa um efeito quase cômico. Mesmo assim, alguns quadros da filmagem tentam reerguer o suspense constantemente com uma leve rotação nos planos que indicam tensão, e também passagens mais abertas para você procurar em todo canto se tem algo suspeito.
scream-halloween-special-killer
Ao todo, a série não sabe aproveitar seu potencial como cultura pop para tornar Scream um novo fenômeno. Alguns caminhos que pareciam óbvios, como o crescimento de Audrey (Bex Taylor-Klaus) na trama, infelizmente caíram por terra de novo e sua protagonista Emma Duval não segura o programa sozinha. Outros bons personagens também foram pouco aproveitados e a preguiça de resolver os conflitos da maneira menos criativa ainda pesa muito para o bem da série. Com novos segredos revelados no final, é bom que a terceira temporada, e provavelmente a última, chegue para amarrar tudo de um movo inesperado e que faça a gente esquecer de todos esses deslizes das duas primeiras temporadas.
Nota:

[wpdevart_youtube]FdArwd7Dk5A[/wpdevart_youtube]

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro