Stonewall - Onde o Orgulho Começou │ Resenhas: Quadro por Quadro

Resenha │ Stonewall – Onde o Orgulho Começou

29.09.2016 │ 10:54

"Stonewall - Onde o Orgulho Começou" é uma declaração sobre os direitos gays em tempos sombrios

O alemão Roland Emmerich é mais conhecido por destruir o mundo em 2012, O Dia Depois de Amanhã e Independence Day, por isso, ao ver a sinopse de Stonewall – Onde o Orgulho Começou, você pode se perguntar o que o diretor foi fazer em um drama gay sobre o início do movimento que luta pelos direitos desta minoria. Acontece que o diretor é um ativista assumido e isso se traduz na forma como o diretor conduz o longa.

O filme se passa no fim dos anos 1960. Ele acompanha um adolescente começando a descobrir novas ideias políticas e as dificuldades da vida adulta em Nova Iorque, às vésperas da rebelião de Stonewall, quando lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros enfrentaram a polícia de Nova Iorque.

Jeremy Irvine, de Cavalo de Guerra, interpreta Danny Winters, um jovem recém chegado à Nova Iorque vindo de Indiana após ser expulso de casa pelo pai autoritário. Através do olhar de Danny, Emmerich vai costurando a trama e nos contextualizando ao momento político vivido pelos personagens.

Para quem odeia o trabalho explosivo de Emmerich, pode ficar tranquilo, pois Stonewall – Onde o Orgulho Começou está mais para um drama de época que mostra as dificuldades de ser gay nos anos 60 do que um blockbuster descerebrado como o diretor está acostumado.

Danny abre seus olhos para o que significa ser gay em tempos sombrios, como o deste conservadorismo em que vivemos atualmente, através do encontro com os mais diferentes e coloridos “personagens”, uns amigos e outros nem tanto.

Stonewall – Onde o Orgulho Começou se torna assim, uma declaração sobre os direitos gays que serve para nos lembrar que tempos sombrios podem precisar de medidas drásticas e nada conservadoras.

Stonewall – Onde o Orgulho Começou

(Stonewall)
País: EUA
Direção: Roland Emmerich
Roteiro: Jon Robin Baitz
Elenco: Jeremy Irvine, Jonny Beauchamp, Joey King
Ano: 2015
Duração: 2h09

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro