Resenha │ Um Namorado Para Minha Esposa

12.11.2009 │ 11:32

“Um Namorado Para Minha Esposa” é a história da miséria da vida conjugal de um jovem casal argentino. Ele está lidando com a esposa que não consegue parar de falar. Ela critica as manchetes de jornal, governo, tempo e amigos, com comentários ácidos e cínicos.
É então que o marido paga uma estação de rádio para contratá-la para um talk show. Ela se torna um hit, ao criticar sobre tudo e todos durante os programas.
Quando o homem resolve pedir a separação por não suportar mais tantas críticas, não consegue dizer a ela. Então, contrata “El Cuervo” para seduzi-la e ter uma desculpa para o divórcio. Quando o plano funciona, ela muda de atitude e começa a apreciar as coisas boas da vida.
O filme, muito bem dirigido por Juan Taratuto, possui reviravoltas inesperadas e atípicas ao cinema argentino, tido como linear. E esse é apenas o terceiro filme do cineasta, que começou sua carreira em 2004.
Valeria Bertuccelli e Adrián Suar, como Tana e Tenso, o casal do filme, estão perfeitos. Seus papéis caem como uma luva nessa comédia romântica e os diálogos, quase sempre afiados e bem-humorados, dão um toque a mais nessa produção.
Uma deliciosa comédia divertida, com um leve toque de seriedade, como só o cinema argentino sabe mesclar.

Um Namorado Para Minha Esposa

()
País:
Direção:
Roteiro:
Elenco:
Ano:
Duração:

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro