Corrente do Mal

27.08.2015 │ 11:17

27.08.2015 │ 11:17

E esta semana temos mais um lançamento no nosso gênero preferido, o terror! Aí você pensa, ah, vai ser a mesma porcaria de sempre. E esta resenha do caramba vai falar o mesmo blá blá blá de sustinhos, beira da cadeira, etc. e tal. Opa! Só que não! Corrente do Mal, o primeiro filme de terror do novatão David Robert Mitchell, não tem nada de mais do mesmo. Ele traz tanta coisa boa, nova, ou até reciclada de outros filmes, mas de uma maneira diferente, que você vai se surpreender. Acompanhe 😉

01CorrentedoMal
A história acompanha Jay (Maika Monroe) em sua saga para se livrar de uma maldição recém-adquirida. Oi? Pois é, ela conheceu um gatinho novo, saiu com ele e no banco de trás do carro descobriu que o cara não era flor que se cheire. Mas não naquele momento, foi depois, logo após o sexo, quando ele a prendeu a uma cadeira e contou que ela precisava transar com outra pessoa pra passar o problema pra frente, senão uma entidade a iria caçar forever and ever, ou até matá-la. Parece muito louco, mas também é muito simples. E a guria passa o filme fugindo da tal entidade, sendo ajudada por amigos (que acham que ela está maluca, claro, você também acharia, não é?) e se indagando se passar a coisa pra frente seria o correto a se fazer. O que você faria?

02CorrentedoMal
A história parece não ter nada de muito novo… lembra um pouco O Chamado, que você vê a fita com a moça dos cabelos longos e negros, a Samara do poço, e morre em sete dias. E a única solução (spoiler!!!) é gravar uma fita e mostrar pra outra pessoa. Mas mesmo assim a ideia ainda é diferente. O lance de “transmitir” a maldição através do sexo dá abertura para interpretações. Ninguém aí pensou em doenças sexualmente transmissíveis, em AIDS? E também tem a entidade que fica perseguindo a pessoa com a maldição, tentando matá-la. O mostrengo parece uma pessoa, mas não uma pessoa normal. Às vezes a pessoa parece estar morta, ou ter sofrido algum tipo de trauma, de repente tudo pra dar medo na gente. Ela muda cada vez que perde contato visual com a vítima, e anda como um zumbi (os antigos, lá do Romero), lentamente, sempre no mesmo ritmo. Só não fica grunhindo ou comendo cérebro, mas é tão assustadora quanto.

03CorrentedoMal
A história é um pouco lenta pro que estamos acostumados, mas segura bem a nossa atenção (ainda mais porque a coisa pode aparecer do nada, e nós nem temos certeza de como vai se parecer). A trilha sonora está sensacional e me lembrou muito os filmes de terror da década de 1970. E não foi só a trilha que me transportou pra essa época: o visual do filme como um todo está bem estilo Halloween, do Carpenter. Tem horas que dá até pra esquecer de quando o filme é realmente. E o filme ainda conta com céus sempre cinzentos, chuva, um ar carregado de medo. E o filme se passa em uma Detroit pós-crise, com muitas casas abandonadas, ruas escuras, um ambiente desolado e sem esperança. Ou seja, o ambiente e clima perfeitos para acompanhar uma guria sendo perseguida por uma entendidade-alien-monstro-troço estranho que não para por nada.

04CorrentedoMal
Ainda tá em dúvida se vai ou não ver no cinema? Ah, este aqui não vou mesmo dar ajudinha alguma, vou dizer só uma coisa: vai demorar pra aparecer um filme de terror tão diferente, interessante e ao mesmo tempo de deixar os cabelos em pé como este. Aproveita o tempinho com clima de filme de terror, compra pipoca e vai. Seja feliz. E pra vida, fica a dica do filme: use camisinha 😀

Nota:

[wpdevart_youtube]z23aDNMPyBg[/wpdevart_youtube]

Você também pode gostar…

  • Leia mais
    Os Sonhos de um Sonhador - A História de Frank Aguiar
    09.06.2016
  • Leia mais
    A Garota no Trem
    27.10.2016
  • Leia mais
    BR 716
    17.11.2016
Quadro por Quadro