Nyad

Onde assistir
"Nyad": uma história inspiradora de coragem e superação

O Oscar, ahhhhh! O cheiro de Oscar tá pairando no ar 😀

Sim, minha gente! Quanto mais vamos nos aproximando do fim do ano, mais filmes incríveis vão chegando. Eu amo essa época do ano!

E a Netflix lançou nesta sexta, 3/11, Nyad, filme baseado na história real de uma atleta que tenta nadar de Havana, Cuba até Key West, Flórida, nos Estados Unidos (uma distância de 110 milhas, ou 177 quilômetros 😯).

Mas o mais incrível não é isso: ela tentou o feito primeiro aos 28 anos, não conseguiu, parou de nadar, e voltou a se empolgar com a história aos 60 anos de idade. Isso faz a história ser relevante e muito empolgante. Amo poder assistir a história incrível de mulheres maravilhosas mais velhas se esmerando para conquistar seus sonhos mais loucos.

E o filme não é realmente sobre se ela consegue ou não nadar os 177 quilômetros (que se você der um Google consegue descobrir a resposta em dois segundos), mas sobre toda sua caminhada para realizar esse feito. Preparo físico ela tem, e melhora quando começa a treinar para a travessia, mas o pior são os medos que ela tem que enfrentar. Você consegue se imaginar em silêncio e basicamente no escuro por mais de 50 horas, dentro de águas que podem conter tubarões e arraias? Pois é… Nyad estava preparada, com uma playlist de mais de 80 músicas que ela cantava para si mesma enquanto nadava, mas cada braçada trazia novos desafios.

As atuações da incrível Annette Bening como Diana Nyad e Jodie Foster como sua treinadora e melhor amiga, Bonnie Stoll, estão dignas de vááááárias indicações para premiações, se prepare! Além disso tem também Rhys Ifans como o brilhante navegador John Bartlett. Chorei em várias partes, ri em outras, ou seja: eles conseguiram convencer e dar quentinho no coração com suas performances.

Destaque também para o casal na direção do filme, os novatos na direção de longas Elizabeth Chai Vasarhelyi e Jimmy Chin, que ganharam o Oscar em 2019 com o documentário Free Solo, que está na Disney e vale a pena ser assistido. Como Jimmy é um alpinista, montanhista e esquiador, além de fotógrafo, ele tem um olho genial para retratar atletas, e junto com Elizabeth, que é roteirista e cineasta, eles conseguem contar histórias desse tipo com uma sensibilidade ímpar. E os paralelos entre Free Solo e Nyad são assustadores e deixam claro como o casal consegue contar bem histórias de atletas que entendem os riscos dos esportes extremos que praticam, mas no final riem na cara da morte com sucesso.

Vou também reforçar o tópico de mulheres mais velhas sendo retratadas em filmes. Hollywood tem mania de esconder mulheres mais velhas, pois charmoso mesmo é ser um homem envelhecendo. E ver uma mulher tão cheia de vida e que acredita em seu potencial, que sabe que pode realizar mais e vai em busca disso, é inspirador. Quero mais dessas histórias! <3

Você também pode gostar...