O Poderoso Chefão

A obra-prima de Francis Ford Coppola traz um Marlon Brando murmurante em toda sua glória

24.03.1972 │ 08:00

24.03.1972 │ 08:00

A obra-prima de Francis Ford Coppola traz um Marlon Brando murmurante em toda sua glória

Os filmes de gângster nunca foram os mesmos depois de O Poderoso Chefão. Para alguns, o filme representa o melhor que Hollywood pode produzir. Um conto sobre a máfia em que é difícil dizer se a arte imita a ficção ou o contrário.

O murmurante Marlon Brando (Superman: O Filme) está em toda a sua glória no filme, aproveitando para mostrar seu amor por gatos e se tornar o padrinho dos padrinhos do cinema ao oferecer favores em troca de dívidas para a vida toda (padrinho ou “don” é o chefe de uma família da máfia). Há ofertas que não podem ser recusadas, uma cabeça de cavalo decepada e inúmeras reuniões familiares emocionantes.

Datado de 1972, O Poderoso Chefão é lento (para os dias atuais) e intimista, mas cheio de ação. É um dos filmes americanos mais populares de todos os tempos. Tem um elenco estelar, seu roteiro é afiado e espirituoso, e Francis Ford Coppola, no auge dos seus 31 anos, mostrava a que veio – criando um filme convincente e digno de muitos elogios técnicos ao adaptar o best-seller de Mario Puzo – que assina o roteiro junto com o diretor.

O filme acompanha as guerras da máfia entre 1945-1955. Michael Corleone (Al Pacino, de O Irlandês) é o filho mais novo de Don Corleone, ele se rebelou contra seu pai ao se alistar no Exército para lutar na Segunda Guerra Mundial e voltou como herói de guerra. Michael, rejeitando o negócio da família, aparece no casamento de sua irmã Connie (Talia Shire, de Rocky: Um Lutador) com sua namorada estrangeira, Kay (Diane Keaton, de Noivo Neurótico, Noiva Nervosa), que até então não sabia que ele vinha de uma família da Máfia.

Pouco tempo depois, durante as férias de Natal, Don recusa a oferta de Sollozzo (Al Lettieri, de Os Implacáveis) para entrar no lucrativo comércio de drogas e quase é assassinado pelas gangues rivais que apoiam Sollozzo. Depois de salvar seu pai de uma segunda tentativa de assassinato, Michael decide se envolver nos negócios da família.

Michael segue a cartilha para ser um excelente Don e quando chega sua hora, ele conduz a família a prosperidade, fazendo negócios de uma maneira moderna e eficiente. Mas a essa altura, Michael se tornou um vilão amoral iniciando uma campanha de vingança assassina contra aqueles que uma vez tentaram exterminar sua família. Ele consolida o poder dos Corleone e no processo consolida Al Pacino como um dos grandes atores de sua geração, até os dias atuais.

O Poderoso Chefão é um filme sobre mafia, mas acima de tudo um filme sobre família. É sobre uma realeza do crime onde nada é pessoal, apenas sua maneira de fazer negócios.

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro