Soul | Quadro por Quadro

Resenha │ Soul

27.03.2021 │ 14:34

Com Soul a Pixar inova mais uma vez oferece sua visão do início da vida e do que acontece após a morte em alto e bom jazz!

Você também tem a impressão de que os longas da Pixar estão ficando mais densos, com mensagens extremamente significativas e nada superficiais? Isso não é por acaso, há alguns anos essa poderosa companhia cinematográfica conseguiu inovar ainda mais no seu jeito de contar histórias e agora leva Soul, sua mais recente produção, ao Oscar.

Joe, personagem principal do filme e para quem Jamie Foxx emprestou a voz, é um professor de piano em busca de uma chance para fazer sucesso como músico. No exato dia em que essa chance acontece, ele sofre um acidente que separa sua alma de seu corpo, mas como está determinado a não ir em direção à luz, acaba caindo no lugar que distribui aquela característica especial e única para cada alma que ainda não veio ao mundo. Nesse lugar, ele conhece 22, uma alma levemente desiludida que precisa de um empurrãozinho para se encontrar.

A trama do filme ganha muito mais poder e relevância quando percebemos que a Pixar deu vida para sentimentos e ideias que ao mesmo tempo são tão reais quanto abstratos. Os Conselheiros, personagens que habitam o mundo das almas, são exemplos perfeitos disso. Eles literalmente encarnam a descrição de seres de energia que estão entre nós para ajudar (ou atrapalhar) e merecem sim um super destaque no filme. Detalhe para a versão dublada, em que todos eles se chamam “Zé”, e a maravilhosa atriz Alice Braga faz a dublagem da personagem Terry. Junto com eles também vale destacar a representação gráfica do mundo antes da vida e após a morte. Todos os aspectos de cada um deles, suas cores, como eles “funcionam”, quem ou que habita estes mundos, foi colocado de forma muito palpável, o que por um lado limita um pouco a imaginação de quem está vendo, mas ao mesmo tempo oferece uma opção altamente criativa de representação.

Pensando na história em si, Soul é vai além do aprendizado sobre as coisas boas da vida, ele é um filme que volta a nossa atenção para os detalhes, que nos inspira a percorrer nossos sonhos e diz em alto e bom jazz que se fizermos isso estaremos não apenas agindo em prol da nossa própria felicidade como também estaremos cumprindo a missão essencial que nossa alma receber antes de vir à Terra.

Só de ver o trailer já dá para saber que esse filme realmente tem tudo para levar as duas estatuetas douradas a que concorre para casa. Confira o longa, se emocione junto com esses personagens e cenários tão envolvente e não esqueça de contar todos os easter eggs e referências que encontram pelas cenas! As mais clássicas estão facinhas de ver!

Soul

(Soul)
País: EUA
Direção: Pete Docter, Kemp Powers
Roteiro: Pete Docter, Mike Jones
Elenco: Jamie Foxx, Tina Fey, Graham Norton
Ano: 2020
Duração: 1h40

Você também pode gostar…

Quadro por Quadro